A rede de notícias CNBC anunciou no dia 6 de Novembro as discussões da compra de boa parte da FOX pela Disney. E este tem sido um dos tópicos mais discutidos no mundo do entretenimento e dos negócios nos últimos dias. Com contrato girando em torno de 52,4 bilhões de dólares essa é uma das fusões mais importantes do mundo do cinema e a morte da era dos “Seis Grandes” (Universal, Disney, FOX, Warner, Paramount e Sony).

A Disney vem consolidando cada vez mais sua posição entre os grandes nomes Hollywoodianos. Na última década, o estúdio adquiriu a Pixar (2006), a Marvel (2009) e a Lucas Films  (2012), cada compra causando um grande alvoroço no mundo cinematográfico e na mente dos fãs. A compra da FOX torna a Disney o estúdio mais importante do mercado, com 30,4% (2017) de dominância.

A proposta inclui a compra da 20th Century Fox (televisão e cinema), as ações da HULU, a maior parte da 21st Century Fox, além de algumas outras ações. A FOX mantém para si as redes Fox Sports e Fox News.

Mas porque a Disney quer a FOX?

Apesar dos muitos rumores de que o motivo seria reunir a Marvel com algumas das franquias que se encontram com a FOX, a verdadeira razão para a aquisição pode ser resumida em uma palavra: Streaming.

A Disney anunciou no começo do ano que pretende lançar seu próprio serviço de streaming em 2019, com um custo mensal menor do que o da concorrência (Netflix, Hulu, etc). No mesmo anúncio, o estúdio informou que seus títulos seriam destríbuidos apenas nesta plataforma. Contudo, apesar de grandes nomes como a franquia Star Wars e todo  conteúdo  Marvel, a empresa acredita que isto ainda não seria o suficiente para convencer os telespectadores a pagarem mais um serviço de streaming. É neste ponto que entra o portifólio da FOX , composto por Futurama, a série X-men, Simpsons, How I met your Mother, além de clássicos como Buffy, a caça vampiros e Alien, que triplica a lista original de títulos e se tornando 1/3 dos lucros da Disney.

Além disso, a compra da FOX também traz a mesa 30% das ações da HULU, transformando a Disney em sócio majoritário da plataforma, permitindo assim um controle maior desta mídia em ascenção.

Mas quais são as vantagens dessa fusão?

Os fãs viram muitas vantagens desta união. Personagens de X-men e Quarteto Fantástico, além do Wolverine e Deadpool finalmente voltam para as mãos da Marvel e podem ser integrados no Universo Cinematográfico da Marvel. Histórias queridas do público finalmente podem sair dos quadrinhos e serem representadas nas telas grandes com maior fidelidade.

Além disse os direitos da hexalogia original de Star Wars também voltam para a Lucas Films, mas o que isso pode impactar nos futuros filmes da franquia ainda é uma incógnita.

A aquisição também traz benefícios ao mundo do jogos eletrônicos. Jogos como os da franquia Marvel vs Capcom finalmente podem explorar mais personagens como os X-men e o Quarteto Fantástico que não estavam incluídos nos jogos anteriores como recém-lançado Marvel vs Capcom: Infinite.

E quais são os riscos dessa compra?

No geral, a fusão foi vista com bastante receio. Se deixarmos de lado os riscos que um monopólio pode trazer para a indústria de entretenimento, como custo, qualidade e frequência dos filmes, além de conflitos trabalhistas, ainda temos o problema gerado para as histórias dos filmes em si.

A Disney tem uma política forte de desenvolvimento de conteúdo para família. O que torna preocupante a produção de filmes como Deadpool e Logan que são rotulados para maiores de 18 anos e que puderam brilhar graças a liberdade de tratar com temas adultos e linguagem inapropriada fazendo jus aos personagens originais dos quadrinhos.

Bob Iger, CEO da Disney, sempre defendou que o estúdio nunca desenvolveria conteúdo rotulado para maiores de idade, entrentanto, em entrevista recente, após o anúncio da compra da FOX, ele informou que empresa esta determinada a trabalhar nas sequências de Deadpool e consegue vizualizar um futuro da Marvel com um ramo de conteúdo para maiores de 18 anos “contanto que o público seja informado do que esperar do filme”.

 

E você, o que espera do novo estúdio 21st Century Disney?

Comments

comments