Em produção desde meados de 2007/2008, o filme solo de um dos membros originais dos Vingadores nas HQs já se encontra disponível nas salas de cinema e mesmo com a segunda pior bilheteria de estréia do estúdio Marvel, Homem-Formiga tem em sua grandeza recursos geniais.

Alguns dos vários roteiros tinham sido escritos por Edgar Wright, que também iria dirigir o longa, mas por conta de divergências criativas acabou largando a produção, deixando o manto para Peyton Reed (direção) Adam McKay e Paul Rudd, que fizeram algumas mudanças no roteiro. Criado por Stan Lee, Larry Lieber e Jack Kirby em 62 o personagem nunca foi um herói muito famoso ou teve grandes histórias, mas assim como Homem de Ferro, esse filme cativa o grande publico com algumas liberdades poéticas em relação aos quadrinhos, que pra alguns pode incomodar um pouco, mas não chega a ser um infortúnio.

Na história, temos um Hank Pym (Michael Douglas) como um inventor atormentado e aposentado que se vê obrigado a impedir os planos de Darrren Cross (Corey Stoll) de criar um exercito com a fórmula de Pym, pra isso ele precisa de ajuda de Scott Lang (Paul Rudd), criminoso que busca a redenção com a família, para acabar com o plano de Cross, Pym então resolve treinar Lang para que ele se torne o novo Homem-Formiga.

Homem-Formiga possui em seu arquétipo elementos incríveis, começando pela interação com o resto do Universo Marvel, logo na primeira cena vemos que Pym trabalha com a S.H.I.E.L.D em missões secretas, seguindo pela formidável sequência de luta entre Lang e Falcão. O núcleo super-heroico é outro ponto alto, a relação de mentor e aprendiz entre os Homens-Formiga é ótima, o núcleo cômico flui e aparecer nos momentos certos. O vilão Jaqueta Amarela é o típico “vilão – vilão” onde suas ambições e ações são totalmente clichês, porém justificável por conta da história principal.

Outros pontos gratificantes para o publico são a grande “mistureba” entre os gênero de filmes de assaltos e de super-herói e o terceiro ato, que não vê obrigado ter algo monumental como uma cidade sendo destruída, é tudo mais contido, mas na medida certa.

Fazendo um contra ponto a tudo isso, temos o 3D, que deixa muito a desejar, com exceção de poucas cenas perto do clímax, ele se torna totalmente irrelevante para o telespectador. Deste modo, Homem-Formiga talvez seja o longa mais satisfatório da Marvel desde Vingadores ou Guardiões da Galáxia.

Ficha Técnica:
Título original: Homem-Formiga
Direção: Peyton Reed
Roteiro: Edgar Wright, Paul Rudd
Elenco: Paul rudd, Corey Stoll, Michael Douglas, Michael Peña, Evangeline Lilly e Judy Greer
Ano: 2015
Gênero: Ação, Aventura

Comments

comments