Desde a sua primeira adaptação para o cinema, a Marvel Studios vem se reinventando e expandindo ao maximo o seu Universo , criando algo realmente único na industria cinematográfica.  E mais uma vez o estúdio conseguiu fazer um bom filme de super-herói.

Assim como o seu antecessor, Os Vingadores: A Era de Ultron, começa mostrando o resultado de acontecimentos dos longas anteriores. Porém logo no inicio do primeiro ato (graças ao roteiro e direção de Joss Whedon) estabelece o tom do filme, fazendo o publico assimilar que dessa vez a  equipe não só esta em atividade a algum tempo, como todos agem de forma tática, coordenada e unida.

No filme, Tony Stark (Robert Downey Jr.) tenta alavancar um programa de paz virtual, as coisas dão errado e os maiores heróis da Terra enfrentam o teste definitivo enquanto o destino do planeta está em jogo. Quando o diabólico Ultron (James Spader) surge, cabe aos Vingadores impedi-lo de concluir os seus planos terríveis. Para tanto, logo surgem alianças inesperadas que abrem caminho para uma aventura global épica e única.

A trama principal não se prende em nenhum momento a alguma HQ especifica, porém consegue trazer a belíssima essência dos quadrinhos clássicos dos Vingadores para o cinema, um prato cheio para os fãs. O roteiro de Whedon é brilhantemente simples e ao mesmo tempo complexo, já que, uma obra cinematográfica de equipe como esse, entra na categoria “falso fácil”, porque embora você tenha a vantagem de não precisar apresentar todos os personagem, é preciso saber equilibrar o tempo de tela de cada um deles e desenvolver suas sub-tramas  dentro da história principal. Ele falha levemente apressado para apresentar Ultron ao publico e com Visão(Paul Bettany), mas recompensa no desenvolvimento e resolvendo grandes situações com pequenos detalhes, como por exemplo a cena em que a equipe está discutindo se Visão é ou não uma ameaça e então o mesmo surge empunhando o martelo do Thor, o que automaticamente resolve tal equação.

Ultron consegue ser um magnífico antagonista na história, que embora sua diretriz inicial seja proteger a terra, acaba criando a sua própria e conturbada ideologia, não sabendo distinguir ordem e caos, seu discurso contra os humanos é carregado de ódio e desprezo. É  a extrapolação máxima de planos malignos de vilões de quadrinhos dos anos 70 e 80.  O que cai muito bem para um robô completamente desequilibrado e egocêntrico.

Os gêmeos, assim como os outros Vingadores possuem sua relevância na história, Pietro não é tão bem utilizado como em X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido, mas não decepciona. Os poderes da Wanda são bem explorados e deixa no Universo Marvel o primeiro deslumbre de elementos sobrenaturais, abrindo
caminho para o vindouro filme do Doutor Estranho. Já o Visão não é apresentado da melhor forma, mas rapidamente cativa o publico e se prova um membro importante. De modo simplório os demais Vingadores não decepcionam,  suas ambições são bem exploradas, a relação de amizade entre eles é um dos pontos altos, todo o romance entre Viúva Negra (Scarlett Johansson) e Bruce Banner (Mark Ruffalo) dá um toque amais, o que melhora ainda mais a equipe.

A direção de Joss Whedon é outra coisa que não decepciona, tudo ficou mais arrojado, a troca de palheta de cores, os plano-sequência e as locações fora de estúdios, o que deu mais um toque especial a trama, dando uma perspectiva de ameaça global (o que faltou no seu predecessor em 2012).

No fim, Era de Ultron cumpri a sua proposta, agrada o grande publico, emociona os fãs de quadrinhos e diverte a garotada, novamente a Marvel merece aplausos.

Ficha Técnica:
Título original: Avengers: Age of Ultron
Direção: Joss Whedon
Roteiro: Joss Whedon
Elenco:Robert Downey, Jr., Chris Hemsworth, Mark Ruffalo, Chris Evans, Scarlett Johansson, Jeremy Renner, Aaron Johnson, Elizabeth Olsen, Paul Bettany e James Spader
Ano: 2015
Duração: 150 minutos
Gênero: Ação, fantasia, aventura

Comments

comments