Sempre que um longa conta com o nome Christopher Nolan, ele acaba gerando um expectativa além do normal. Conhecido por filmes como: Amnésia; A Origem e a trilogia Batman: O Cavaleiro das Trevas; Nolan sempre tenta arrojar cada vez mais suas produções e fazer delas algo além de um simples filme. Mas nem sempre isso se concretiza. No longa, é notável que em vários momentos tanto o roteiro, direção e até a trilha sonora tenta emular pequenas coisas da obra prima de Stanley Kubrick, 2001: Uma Odisseia no Espaço, em uma história relativamente simples mas com conceitos complexos.

Em Interestelar, após os recursos naturais da Terra estarem escassos, um grupo de astronautas comandados pelo ex-astronauta Cooper (Matthew McConaughey) são enviados para o espaço em uma missão, a equipe parte para outra galáxia através de um buraco de minhoca, aonde almejam encontrar um mundo que suporte a vida e então salvar a humanidade da sua extinção.

O primeiro ato começa apresentando situações e idéias típicas da ficção científica, como “Pra onde vamos?”; “O que somos em relação a tudo?”; “Nascemos aqui, mas somos destinados a morrer aqui?”; etc, e logo depois com uma enxurrada de explicações e teorias não são nada mais que um mecanismo de roteiro para o telespectador entender o que vira no segundo ato, que começa deixando a Terra, que está a beira de um colapso, como segundo plano para a imensidão estelar. Aí temos o desenvolvimento e aprofundamento das questões apresentadas no primeiro ato e uma conciliação entre a razão e emoção.

Já o terceiro ato, acaba se perdendo em certos momentos. Se até ali o longa estava com uma pegada mas filosófica e emocional, em certos momentos a parte final parece entrar em conflito com tudo apresentado e estabelecido até ali. Mais especificamente com a entrada do astronauta Mann (Matt Damon), que embora sirva para nos mostrar a que

ponto um homem pode chegar para sobreviver, acaba parecendo um intruso dentro da história, já que seu “plano” acaba não só botando em risco toda a missão e mudando um pouco o clima do filme que até então se mantia excepcional. Logo depois temos a conclusão de tudo que dentro do possível consegue ser bem resolvido, deixando o telespectador satisfeito, coisa que no fim das contas Christopher Nolan sempre consegue fazer, e o ótimo elenco também ajuda a complementar isso. Contudo são exagerados tanto aqueles que acham o filme a melhor do mundo, ou que Nolan é o melhor diretor da atualidade. Interestelar certamente não é um “novo 2001”, mas tem seu mérito e vale muito a pena ver nos cinemas.

Ficha Técnica:
Título original: Interstellar
Direção: Christopher NolanRoteiro: Christopher Nolan e Jonathan Nolan
Elenco: Anne Hathaway, Jessica Chastain, Matthew McConaughey, Michael Caine, Andrew Borba, Bill Irwin, Brooke Smith, Casey Affleck, Collette Wolfe, David Gyasi, David Oyelowo, Ellen Burstyn, Elyes Gabel, Francis X. McCarthy, Jeff Hephner, John Lithgow, Josh Stewart, Leah Cairns, Lena Georgas, Mackenzie Foy, Matt Damon, Russ Fega, Tinothee Chalamet, Topher Grace, Wes Bentley, William Devane
Ano: 2014
Duração:169 min
Gênero: Aventura e Ficção Científica.

Comments

comments