Quem leu as clássicas edições dos X-Men sabe que a principal batalha que os mutantes tem que travar não é contra outros mutantes, super-vilões, aliens ou robôs gigantes e sim contra o preconceito e o medo dos humanos diante deles, mas isso nunca foi muito bem aproveitado nos antigos filmes, e nesse também.
Na HQ X-Men: Dias de um Futuro Esquecido (Uncanny X-Men #141-142) nosso mundo se encontra a beira do fim e a única coisa que resta a fazer é botar em pratica o plano de conectar a mente de Kitty Pride do futuro com a do passado, para tentar desfazer os acontecimentos que resultariam no fim do mundo. Embora a historia original seja excelente, trazer um ótimo conceito de viagem no tempo a ponto de influenciar James Cameron no filme O Exterminador do Futuro (1984), ela é usada apenas como uma base superficial no filme, que acerta em usar a historia como ponto de partida, onde acaba errando em muitas coisas, como equilibrar a hierarquia dentro da trama no longa (fazer personagens secundários terem uma enorme importância e ao mesmo tempo sub-aproveitando outros).
10254043_10152807985819848_6531433035155220440_n

Ao contrario dos gibis onde no futuro todos eram catalogados três castas sociais (os “H” de humanos, os “A” de anormais, pessoas comuns mas possuidoras de genes mutantes e os “M”de mutantes , que eram caçados e mortos), no filme o futuro é totalmente mais zoado e tanto mutantes quanto humanos são mortos. Os poucos mutantes sobreviventes são obrigados a se esconderem em vários pontos do planeta, até que Xavier e Magneto decidem fazer uma ultima tentativa para mudar as coisas, trazendo a mente do Wolverine do futuro para o passado (algo que até faz sentido dentro da historia do filme),e então Logan acorda na década de 70 e acaba ficando “perdido” como todos os mutantes daquela época. Ao mesmo tempo em que o Wolverine tenta unir os X-Men a Mística anda se envolvendo com “gente barra pesada” Magneto esta preso por fazer parte de uma conspiração, Charles Xavier se encontra totalmente desacreditado de si mesmo e os sentinelas estão a um passo de serem ou não fabricados. O equilíbrio entre mostrar o futuro e o passado é bem utilizado e a volta Singer ajuda, porém o filme erra em não mostrar o do jeito certo o preconceito dos humanos perante os mutantes, fazendo com que o filme fique um pouco arrastado no final, não aproveitar devidamente alguns personagens e botar a grande responsabilidade em que não é importante.

X-Men: Dias de um Futuro Esquecido tem lá seus erros e confusões que divergem com a toda a franquia, e mesmo com a volta do diretor Bryan Singer, o elenco da antiga trilogia e até os Sentinelas, essa adaptação para o cinema tropeça em alguns momentos, mas no final das contas essas coisas não chegam a estragar o filme, mas deixa o telespectador com um gostinho de “poderia ter sido melhor”.

Observação: Vá para o cinema preparado para ver ótimas cenas de ação, uma grande revelação sobre JFK e uma excelente sequência de cenas com o mutante Mercúrio.

Ficha Técnica: 
Título original: X-Men: Days of Future Past
Classificação: 12 anos
Direção: Bryan Singer
Roteiro: Simon Kinberg, Jane Goldman e Matthew Vaughn
Elenco: Hugh Jackman, Patrick Stewart, Ian McKellen, James McAvoy, Jennifer Lawrence, Michael Fassbender, Nicholas Hoult, Anna Paquin, Ellen Page, Shawn Ashmore, Halle Berry, Peter Dinklage, Omar Sy, Evan Peters, Josh Helman, Daniel Cudmore, Fan Bingbing, Adan Canto, Booboo Stewart, Lucas Till, Evan Jonigkeit
Ano: 2014
Duração: 131 minutos
Gênero: Ficção/Aventura

Comments

comments