“Viva. Morra. Repita. Morra de novo. Viva. Morra mais uma vez. Reviva e morra de novo…”. É mais ou menos assim que funcionam as coisas para Tom Cruise em ‘No Limite do amanhã’.
Com a premissa de “Viver. Morrer e repetir “ o longa lembra muito os games de ação de modo geral ( você morre, recomeça de onde parou com o checkpoint , segue em frente, leva um tiro e morre de novo). O parentesco com certas coisas da Segunda Guerra Mundial , invasão da França, O Dia D e o modo em que Cage (personagem de Cruise) é obrigado “refazer” o mesmo dia inúmeras vezes, é muito bem bolado.
No filme, Bill Cage(Cruise) é um major que trabalha como secretário de imprensa para os EUA (Homem propaganda), e enquanto a Terra é tomada por alienígenas, Cage é obrigado a juntar-se às Forças Armadas. Ao chegar a “última batalha da humanidade” contra os aliens, ele acaba sendo morto e então acorda na manhã do dia anterior a sua morte. A partir daí o filme pode aparentar ser algo arrastado, mas consegue seguir o rumo certo. Com a ajuda do elenco principal (Tom Cruise e Emily Blunt, Bill Paxton ) a história consegue ser algo funcional, ele impressiona pelos efeitos como os exoesqueletos e as cenas de ação na praia, e funciona como a história principal, que apesar parecer confusa, é completamente simples e redonda.
aynk
O desenvolvimento dos dois personagens principais não deixa a desejar, Bill Cage é obrigado a morrer das formas mais inusitadas possíveis (carros, aliens, tiros…) para conseguir se tornar um soldado de verdade e salvar o mundo, e Rita Vrataski (Emily Blunt), que já é apresentada e estabelecida como uma grande combatente, é obrigada a seguir coordenadas de Cage para acabar não morrendo.
A sub-trama de Vrataski, o pelotão/alívio cômico e o porquê do personagem de Cruise ter que voltar no tempo, faz uma boa junção a trama principal, tornando o filme algo que funciona dentro da proposta dele, sem incoerência, grandes furos no roteiro, ou invencionismo (coisa que a maioria dos blockbusters falham em tentar fazer).

No Limite do Amanhã vai além de um “sci-fi de fim de semana”, basta jogar uma pitada de exoesqueletos, viagem no tempo, tropas estelares, e Tom Cruise correndo que você tem um ótimo filme.

Ficha Técnica: 
Título original: Edge of Tomorrow 
Direção: Doug Liman
Roteiro: Christopher McQuarrie, Jez Butterworth, John-Henry Butterworth
Classificação Indicativa: 12 anos
Elenco:Tom Cruise, Emily Blunt, Bill Paxton, Brendan Gleeson, Noah Taylor, Jonas Armstrong, Tony Way, Kick Gurry, Franz Drameh, Dragomir Mrsic, Charlotte Riley
Duração:113
Ano :2014
Gênero: Ficção
 

Comments

comments